domingo, 21 de novembro de 2010

"Rodoviarismo no DF"

Recebi a mensagem abaixo do amigo Uirá Lourenço, grande batalhador pela mobilidade sustentável:


Rodoviarismo no DF: consequências da política de transporte voltada exclusivamente ao automóvel


Eis o resultado da política rodoviarista ainda empregada no Distrito Federal.
O círculo vicioso do incentivo aos carros já pode ser facilmente observado na “Linha Verde”.
Construção de mais pistas para carros → Maior incentivo ao transporte individual motorizado → Mais motoristas optam pelo automóvel → rápida saturação do novo sistema viário → mais congestionamentos → transporte por ônibus torna-se mais lento e caro → maior risco ao transporte não motorizado  → mais poluição → mais acidentes → mais investimentos governamentais (pistas, viadutos e túneis) para amenizar o caos


Figura 1 : EPTG com espaço ampliado para carros (sem ciclovia, nem calçadas, nem os prometidos corredores de ônibus, e com passarelas inacabadas)

Figura 2: No final da EPTG, a frota excessiva de carros fica literalmente parada

Figura 3: Carros, ônibus, motos e caminhões disputam espaço no final da EPTG

Se o leitor conseguir e tiver a curiosidade de contar o número de ocupantes em cada automóvel (clique nas imagens para ampliá-las), poderá estimar, com a amostra, o número total de pessoas presas nos congestionamentos. Aí fica a pergunta: onde está a racionalidade dessa política?

Postar um comentário