quarta-feira, 6 de maio de 2009

De novo, as barreiras

Brasília está ganhando uma roupagem nova em termos de sinalização e controle de tráfego. A via L3 Norte, por exemplo, ganhou a barreira eletrônica da foto abaixo, nas proximidades do Hospital Universitário de Brasília.


Trata-se de um equipamento volumoso, que provoca fortíssimo impacto visual, muito mais do que as barreiras antigas, hoje instaladas onde se requer redução de velocidade. Às vezes são casos de reduções fortes. Na via L4 Sul, onde há reduções de 25% (de 80 para 60 km/h), os dispositivos são muito menos chamativos. Isso, é bom que se esclareça, sem qualquer tipo de prejuízo a sua função de chamar a atenção de condutores para a seção da via que requer a desaceleração.

O curioso sobre o equipamento da foto é que ali na L3 Norte não há qualquer redução da velocidade. O limite é de 60 km/h em toda a extensão da via. Então, para quê serve o espalhafato? Não estaríamos aqui diante de um caso em que as autoridades de trânsito estão indicando que o limite pode ser desobedecido fora do ponto onde o equipamento está instalado? 

(Discuti isso em outra postagem e não vou repetir meus argumentos aqui - a postagem original, no Blog do Noblat, rendeu um bom debate).

O fato é que fiquei com uma pulga atrás da orelha: será que as autoridades de trânsito do Distrito Federal estão pensando em aumentar o limite de velocidade da L3 Norte? Se for essa a intenção, vou tratar do assunto em outra postagem, na linha de um artigo que publiquei no Correio Braziliense em maio de 2007 (cópia no portal da Secom/UnB). Por enquanto, com todo cuidado para não espantar a pulga, vou manter a orelha em pé...
Postar um comentário